A participação na vida Cristã inicia no Batismo, pois, por meio deste sacramento onde recebemos o Espírito Santo, somos revestidos de Cristo [GI 3, 27] e nos tornamos, segundo a sua imagem, membros da sua Igreja. São Paulo vem dizer que “vós sois o corpo de Cristo e cada um, de sua parte, é um de seus membros. ” [I Cor 12,1 27], isto é, ao receber a missão de tomar parte da edificação do corpo de Cristo, devemos ter o compromisso de doarmos o melhor de nós para que a evangelização aconteça.

Ao passo que iniciamos a vida cristã recebendo a graça batismal, o Senhor vai suscitando aos corações um chamado à santidade, pela edificação da sua Igreja e salvação das almas. Este chamado é a vocação. Quando, na Igreja, o chamado é à vocação ao laicato, o desejo do Senhor é que todos, em especial o cristão leigo seja, na vida do irmão, “um sinal tangível da presença do reino de Deus; uma antecipação das alegrias eternas do céu”, nas palavras do Papa Francisco.
Assim, os leigos, incorporados pela presença do Espírito Santo, são chamados a assumirem a missão evangelizadora, em auxílio as demais vocações, sendo um canal de propagação do Reino de Deus em todas as esferas sociais.

Na sociedade contemporânea percebe-se, a cada dia, que uma boa parcela da população se distancia do que Cristo ensina em Jo 13:34: “como eu vos tenho amado, assim também vós deveis amar uns aos outros. ”. Essa falta de amor pelo próximo – um amor semelhante ao de Cristo – gera os grandes índices de violência em todos os âmbitos, crises no matrimônio, na família, no trabalho, na política, tornando-se, dessa forma, cada vez mais necessário o “sim” à vocação de leigos comprometidos com a mudança dessa realidade, levando a voz de Deus aos corações que estão fechados para ouví-la.

Para tão importante missão, o leigo deve buscar uma vida de santidade, por meio da oração constante e vivência contínua dos sacramentos da Igreja, uma fé fundamentada no magistério, além da prática de virtudes como a humildade, penitência e caridade, para que possa levar dignamente o testemunho de Cristo, experimentando o seu amor diariamente para transmití-lo ao irmão.

Imagem: Reprodução

O chamado à vocação laical não exige ordens sacras, contudo, consciente do seu papel Cristão de ser “sal da terra e luz do mundo” [Mt 5, 13-14], os leigos adquirem a missão de lutar pela santidade própria e dos irmãos, amando-os como Cristo ensina e auxiliando a Santa Igreja em suas necessidades pastorais. É dever, pois, do leigo, lutar pela dignidade do homem, inclusive dos mais necessitados, catequizando-o na doutrina moral e social da Igreja, buscando transmití-lo os ensinamentos do evangelho.

O Catecismo da Igreja Católica diz, no parágrafo 940 que, “sendo próprio do estado dos leigos viverem a sua vida no meio do mundo e dos assuntos profanos, eles são chamados por Deus a exercer o seu apostolado no mundo à maneira de fermento, graças ao vigor do seu espírito cristão”. Ou seja, pelo espírito cristão, os leigos devem trabalhar em favor da santidade por todos os locais por onde passarem. O CIC continua dizendo (941) que “os leigos participam do sacerdócio de Cristo: cada vez mais unidos a Ele, desenvolvem a graça do Batismo e da Confirmação em todas as dimensões da vida pessoal, familiar, social e eclesial, e assim realizam a vocação à santidade dirigida a todos os batizados”, isto é, a vocação ao laicato, assim como as demais, é uma entrega na qual o leigo do o melhor de si pela santidade e salvação do próximo, como verdadeiras testemunhas de Cristo, aquele que doou a vida para salvar a humanidade.

” é uma entrega na qual o leigo do o melhor de si pela santidade e salvação do próximo”.

Dada a importância da vocação dos leigos, é essencial reconhecer seu papel como sendo, na Igreja, fundamental para a evangelização e pastoreio do povo de Deus. A primeira missão dos leigos é serem testemunhas do amor de Jesus para que, assim, possam permanecer no seu segmento e levarem outras pessoas a permanecer nele. Desde o ambiente familiar ao eclesial, os leigos devem atuar como discípulos missionários de Cristo pregando o evangelho a toda criatura [Mc 16, 15], em casa, no trabalho, na escola, faculdade, e exercendo seu ministério nas inúmeras pastorais, movimentos e serviços existentes na Igreja, de acordo com o carisma que lhe foi revelado pelo Espírito Santo.

Que o Senhor suscite cada vez mais, no coração do seu povo, a vocação de leigos que vivam intensamente o chamado de Deus ao serviço da Igreja de Cristo, comprometidos com a causa da evangelização e da santidade conduzindo, a cada dia, mais pessoas para o caminho da salvação em Cristo Jesus.

Author

Mychelle Santos

Estudante de Jornalismo pela Universidade Federal do Cariri. Gerente de Mídias e Produção de Conteúdos.

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.