shadow

Eu dormia, mas meu coração velava e ouvia o meu amado (Ct 5,2)

Aos queridos jovens que buscam um horizonte ou que procuram encontrar o Amor.

Ah! meus caros, encontrar o amor é adentrar as entranhas da alma, buscar perceber o mistério insondável de Deus. Mas como fazer isso em um mundo sedento de riquezas, onde o valor da pessoa é dado por meio das posses? A luxúria, o prazer, as riquezas, as vaidades e muitas outras espécies de promessas nos motivam à procura da felicidade ou ao encontro do paraíso perfeito. Mas será que precisamos de muitas coisas para sermos felizes? Já dizia Dom Quintino, ao tratar da Vida Religiosa Consagrada, em um de seus mais belos poemas, o formoso Amor Divino: “os tesouros, as pérolas mais finas para meus olhos não têm atração! A Cruz, os Cravos e a Coroa de Espinhos são os bens que me prendem o coração”.

Oh! que loucura será que é isso mesmo que procura um(a) Jovem ao bater à porta de um Convento em busca da Vida Religiosa Consagrada? Quando nos sentimos atraídos pelo Amor de Deus, chamados por Ele, todos os prazeres do mundo já não têm sabor, mas sim as belezas mais profundas do Amor. Mas tu Vida Religiosa o que vive hoje? O que fazes? Ah! talvez seja imperceptível aos olhos do mundo pois o Amor de Deus é misterioso. Embora considerando as imperfeições dos que buscam viver esse amor, é a Vida Religiosa Consagrada que, como Maria nas bodas de Caná percebe as necessidades do povo.

As (os) religiosas(os) têm olhos fixos em Jesus e são capazes de viver os seus sentimentos em profundo espírito de compaixão pelos irmãos, de modo particular, os mais pobres e marginalizados. É na figura dos desprovidos que o Amor de Deus se revela à Vida Religiosa, tornando-a um espaço de vida nova para a humanidade sedenta de Deus. Afirmo a vocês jovens que a Vida Religiosa vive uma alegria constante, e ao mesmo tempo uma radicalidade complexa. Somos chamadas(os) enxergar os mais pobres à luz de Cristo que viveu Pobre, Casto e Obediente e que, na Cruz foi despido de suas vestes tornando-se semelhante a muitos que perderam sua dignidade.

É pela Cruz que somos lavados dos nossos pecados e recebemos de volta a dignidade. Assim a Vida Religiosa Consagrada é chamada a viver conforme Jesus Cristo para dar vida e dignidade àqueles que estão desprovidos das mais diversas adversidades em nosso mundo atual.

Crato – Ceará
Irmã Maria Sousa, FSTJ

Author

Mychelle Santos

Estudante de Jornalismo pela Universidade Federal do Cariri. Gerente de Mídias e Produção de Conteúdos.

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.