shadow

Para entender melhor este texto e acompanhar a linha de raciocínio, leia no YOUCAT as perguntas de 20 a 24 e, se possível, o Catecismo da Igreja Católica nos parágrafos de 142 a 165.
Deus revela-Se a nós e nos faz Seus amigos pela vida, morte e ressurreição de Jesus Cristo, que nos envolve em seu mistério dizendo: “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor. Mas chamei-vos amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai.” (Jo 15, 15). Com isso o Senhor nos convida a viver em comunhão com Ele, e nós, como amigos, devemos responder o Seu chamado. A resposta que se pode dar a este convite é a fé e sua vivência.
Abraão é nosso Pai na fé. Foi pela fé dele que se iniciou toda a crença em Deus pelo povo Judeu, pois ele acreditou naquilo que o Senhor o tinha prometido e em nenhum momento voltou atrás, mesmo quando teve de quase sacrificar seu único filho. Assim se tornou o primeiro dos que creram. O antigo testamento contem grandes expressões e testemunhos de fé, mas Deus preparava para nós algo muito melhor que é a graça de crer em Seu amado Filho. Para revelar-Se em Jesus, Deus usou de Maria, que realizou de maneira perfeita a obediência da fé, pois acreditou que para Deus nada é impossível e deixou que se fizesse nela a Sua vontade e se cumprisse tudo aquilo que foi dito pelos profetas e patriarcas a respeito do Messias. Por isso todas as gerações a proclamarão bem-aventurada. Estes são dois grandes exemplos de fé, talvez os maiores, que além de nos ensinarem tanto nos convidam a crer. Convite este que depende sempre da nossa adesão pessoal, sendo que para nós cristãos crer em Deus é crer inseparavelmente em Seu Filho. Quem crer em Jesus participa do seu Espírito que nos revela quem Ele é. Por isso a Igreja professa a sua fé em um Deus Trino e Uno que é Pai, Filho e Espírito Santo.
Esta fé é composta por sete características:

1 – A fé é uma pura dádiva de Deus, obtida se intensamente a pedirmos;

2 – A fé é a força sobrenatural de que, necessariamente, precisamos para alcançar a salvação;

3 – A fé requer a vontade livre e a lucidez do ser humano quando ele se abandona ao convite divino;

4 – A fé é absolutamente segura porque Jesus o garante;

5 – A fé é incompleta enquanto não se torna operante no amor;

6 – A fé cresce na medida em que escutamos cada vez melhor a Palavra de Deus e permanecemos com Ele na oração, em vivo intercambio;

7 – A fé permite-nos, já, a experiência do alegre ante-gozo do Céu.
Escolhe pela fé aquele que se sente chamado por Deus a viver novas experiências, a se entregar àquilo que não se pode ver. “Quem crê procura uma ligação pessoal com Deus e está pronto a crer em tudo o que Ele revelou acerca de Si mesmo.” (YOUCAT, 22). Quem procura essa ligação a encontra e quando a encontra passa por uma perturbação ou desassossego, pois aquilo que era invisível passa a ser visível. A vida espiritual deixa de ser algo abstrato e passa a ser concreto na vida dos que creem, pois ele está aberto àquilo que Deus pode fazer na sua vida e, quando nos abrimos a Ele, nossa vida toma um sentido diferente.
Fé e ciência não se contradizem, ao contrário, elas caminham juntas, pois não podem existir verdades duplas e distintas se tratando de um único caso e assunto, por isso a ciência vem para confirmar a fé, e a fé para despertar a ciência. “Entre Deus e a ciência não encontramos qualquer contradição. Eles não se excluem como hoje alguns creem e temem; eles completam-se e implicam-se mutuamente.” (Max Planck, físico alemão) Foi Deus que dotou o homem de inteligência e razão, portanto Ele não poderia negar-se a si mesmo pela ciência. Por isso a Igreja usa de métodos científicos para comprovar os atos e acontecimentos de fé e assim fortalece-la.
Nossa fé é pessoal, mas está totalmente relacionada à Igreja, pois “ninguém pode crer só para si mesmo, como também ninguém consegue viver para si mesmo.” (YOUCAT, 24) E Jesus quis que nós estivéssemos juntos e que celebrássemos os mistérios juntos. “Onde dois ou mais estão reunidos em Meu nome, Eu estou no meio deles” (Mt 18,20). Minha fé deve brilhar no mundo e deve fortalecer a sua, assim como a sua deve impulsionar a minha e a de todos. É uma contribuição mútua onde o testemunho de fé convida o próximo a crer ou a viver e professar melhor a sua fé. Continuemos então no caminho do Senhor e respondendo ao seu chamado, sabendo que nossa fé deve brilhar no mundo como uma luz que aponta para Cristo.

 

Tudo é possível ao que crê.” (Mc 9, 23)

Author

Jayr Alencar

Jovem Analista de Sistemas, membro da comunidade católica Aliança de Misericórdia, programador, escritor e administrador no site Clube dos Geeks. "Feliz o homem que suporta a tentação. Porque, depois de sofrer a provação, receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam." (Tiago 1, 12)

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.